CENAS DE UMA SALA NOVA #3 (ÚLTIMO CAPÍTULO)

13.2.21

Demorou a sair este último capítulo das obras na sala, porque o inverno anda rigoroso, dias cinzentos e chuvosos que me impediam de tirar fotos como eu gosto. Até que hoje, ao fim de três semanas, houve uma aberta, o sol espreitou tímido mas foi o suficiente para me fazer pegar na máquina e mostrar-vos as obras concluídas. Ainda há um ou outro objeto que continua à procura do seu lugar, uma poltrona que veio do quarto e está aqui em modo provisório, mas em geral, aquilo que imaginei, ficou pronto. Quem acompanhou os primeiro e segundo episódios sabe que o mais importante foi tirar a lareira e arranjar um estratagema que impedisse a vista franca de quem abria a porta de entrada de casa já que não temos hall de entrada. Check and Check. Demolir a lareira permitiu virar a zona de estar ao contrário, e a estrutura em madeira em frente à porta, que tanto receávamos que se tornasse um "mamarracho" no meio da sala saiu literalmente melhor que a encomenda. Foi idealizada por uma amiga designer de interiores, com uns toques meus, demorou 7 meses a ser executada e muitas idas e vindas minhas para explicar ao carpinteiro as dúvidas que o desenho suscitava, mas valeu a pena: cumpre bem a função que queríamos, não atravancou o ambiente e nem se tornou um obstáculo à luz natural que entra a rodo logo pela manhã. Mas melhor que eu falar é vermos as imagens. Como bónus, no fim da reportagem juntei plantas do antes e depois para aqueles que gostam de uma explicação mais técnica e TCHARAN.....um vídeo caseiro para os apressados que não se interessam em ver pormenores e apenas querem apreciar o resultado final. Enjoy you all! 

Comparando as fotos do atual e antes: o quadro do velho negro (que veio da casa dos meus avós maternos, no Brasil) está exatamente no mesmo local e foi o ponto de partida para a distribuição de todo o resto. O sofá e o tapete são novos e a mesinha amarela, foi a primeira peça que pedi à minha sogra para me dar, isto há 25 anos. Na época dei-lhe um banho de laca amarela e coloquei-a na casa de banho social, com uma certa pena minha que sempre a quis ver num local onde pudesse desfrutar dela mais vezes:



A estrutura foi feita em madeira de carvalho e como as tábuas estão inclinadas, consoante o ângulo, deixa ver mais, ou menos, da porta de entrada:




A zona da mesa de jantar ganhou papel na parede e lustre de contas de madeira. Daquelas peças que compro quando surge a oportunidade (este estava numa loja que ia fechar e portanto numa super promoção) e guardo até chegar o momento certo de usar. O tapete é da SugoCork Rugs, uma marca Portuguesa que usa técnicas artesanais de tecelagem e combina cortiça com lã e algodão reciclado. A emenda que aparece no tapete deve-se ao fato de haver dimensões máximas que correspondem à medida do tear. Se a pessoa pretender um tapete de tamanho maior, será necessário fazer duas peças e emendar, resultando neste ar rústico:


A profusão de almofadas no sofá tem duas origens: as lisas encontrei-as on-line na Amazon e as amarelas foram feitas aproveitando os panos de crochet e bordados da minha mãe e avós:



As prateleiras em vidro são as mesmas que estavam antigamente ao lado da lareira. Mandei-as cortar e comprei as poleias também na Amazon. Aliás, a Amazon foi-me de grande auxílio em todo o processo. De lá veio também a luminária de parede com luz direcional. Finalmente tenho uma luz adequada para ler!


Os bebés que proliferam nas prateleiras e aqui na cómoda, são coleção do marido. Chamam-se Piano Babies, e como o nome indica, eram usados colocados em cima dos pianos. Ele ainda tem mais uns quantos (já prometeu que não compra mais) encaixotados, à espera de ver a luz do dia:

Depois de olhar dezenas e dezenas de moveis de TV, encontrei este na Maisons du Monde, é pequenino, simples e com um dourado baço que lhe confere um certo requinte. E fiquei bem surpresa quando descobri que há uma Maisons du Monde em Almancil, no Algarve. Eu que sempre fui super fã da loja, não fazia ideia que a marca tinha vindo para Portugal:

Esta cadeira, uma poltrona típica dos anos 20, veio do meu quarto (e vai voltar porque faz lá falta) e anda a precisar de um refresh urgente que ainda não fui capaz de lhe dar. Neste sítio quero uma poltrona com mais peso visual e mais confortável também. Há-de surgir qualquer dia!

O louceiro estava antigamente na parede onde agora foi colocado o papel, ou seja, atrás da mesa de jantar. Fiquei agradavelmente surpreendida quando o pus aqui pois finalmente pude vê-lo por inteiro e não cortado pela mesa e eu, que andava um pouco enjoada do móvel, voltei a gostar dele. De facto, basta um novo olhar para as coisas transformarem-se. Sei que vão admirar-se com a quantidade de serviços que aparece, mas posso vos dizer que ainda tenho mais loiça do que esta. É, sem dúvida, o meu vício. Nas gavetas ficam os porta guardanapos, também em profusão!

Vista quando se entra em casa:



Plantas do antes e depois onde se percebe que o louceiro foi para o local onde se encontrava a cómoda e esta, mudou para o lado do sofá:


E o vídeo para os mais imediatistas!!

10 comentários:

  1. Ficou espectacular! Parabéns!

    Beijinhos:))

    ResponderEliminar
  2. Val, apenas isto: MA-RA-VI-LHO-SO!!!
    Espera, só mais uma coisa, o separador da porta da entrada para a sala ficou tão, mas tão bem! As janelas que desenhaste na peça são uma ideia muito boa. Adorei. Adorei tudo. Parabéns!!! bjsss

    ResponderEliminar
  3. Oi Val,
    Que mudança! Mal dá para reconhecer a sala. o espaço ficou mais aconchegante.
    Eu jamais teria paciência para esperar 7 meses por uma porta!!!
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Bom dia, Val
    aqui:8:30 manhã de segundona com céu nublado.
    Sinceramente gostava de sua lareira, talvez pelo fato de nunca ter tido uma e a visão dela me leva a ambientes acolhedores, mas também não posso dizer que não gostei da mudança, sua sala parece que ficou mais ampla e clara. Gostei também da divisão de madeira que colocou na sala. Agora é curtir o novo ambiente que ficou bastante aconchegante. Parabéns pela coragem, principalmente pela demolição da lareira, e pelo bom gosto que reina na sua sala.
    Grande abraço.
    Mari

    ResponderEliminar
  5. Uau! Val, que bela surpresa! Bem precisava de ter a tua coragem e acabar com esta lareira que só me traz dissabores. :(
    Gostei tanto da nova sala! A entrada da casa ficou valorizada e "privada", o pormenor das plantinhas deu-lhe originalidade, frescura, cor e alegria. O novo sofá e as novas carpetes tornam o espaço mais acolhedor e as almofadas adicionam conforto à zona de lazer. Bem podia ser a minha sala! Só não queria o papel de parede porque acho que me ia cansar rapidamente, apesar de adorar as cores e os padrões. Obrigada pela curiosa, interessante e inspiradora partilha, estava desejosa de ver e sim, fiquei ma-ra-vi-lha-da! Muitos parabéns, cachopa corajosa! Um grande beijinho, até breve.

    ResponderEliminar
  6. Ola, ficou maravilhosamente bem! Adorei a cor das paredes, e muitos dos pormenores. A ideia para separar a entrada da sala é a minha preferida, ficou lindo, lindo! Muitos parabéns pelo trabalho! Só não retirava a lareira, mas se não era usada, foi o melhor. Boa semana

    ResponderEliminar
  7. Olá Val! Tu é muito corajosa e determinada além de talentosa. Como sempre digo,tu acerta sempre.Tudo na tua casa é fascinante e original. Tu sabes brincar com cores e estilos como ninguém. Ficou maravilhosa. Parabéns! Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Maravilhosa!!!!! Um espetáculo de aconchego. Bjs Laura

    ResponderEliminar
  9. Adorei o resultado final!

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está em Hiatus de verão entre 05 de fevereiro e 08 de março, mas não deixaremos de comentar nos blogs amigos. Também tem posts novos no blog.

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics