AS PORTAS CENTENÁRIAS

12.10.20

Sangue e suor. Só não cheguei às lágrimas, mas confesso que a certa altura, vontade não me faltou. Trabalhei 3 meses (fins de semana e finais de tarde após o escritório) para deixar à vista a madeira destas portas centenárias que há 25 anos enfeitam a minha casa. Junho, Julho, folguei Agosto e acabei em final de Setembro. Comecei a mexer nelas na sala de casa, enquanto esta ainda estava de pantanas com as obras; continuei no terraço, aproveitando a luz natural até 9 da noite no verão; e terminei na Oficina Monstros, quando esgotei a minha sabedoria em termos de restauro e precisei dar acabamento e igualar os diversos tons das madeiras que compõem as portas. Mas já lá iremos pois antes disso tenho que vos explicar que estas portas vieram do átrio de entrada de um prédio antigo de Lisboa que estava a ser remodelado em 1995. Na época eu colaborava na dita remodelação como arquiteta e ao mesmo tempo seguia as obras no apartamento para onde iríamos nos mudar e habitamos até hoje. No projeto de alterações do prédio, as portas não faziam mais sentido e iriam ser descartadas. Estavam em péssimo estado, com todos os vidros partidos, exceto um que apresentava um desenho de inspiração art nouveau. Nem sei bem porquê, acabei por trazê-las para o apartamento: existia um vão de passagem ainda indefinido entre a sala e o corredor mas as portas nem cabiam ali, eram muito altas e estreitas. Mesmo assim vieram, um carpinteiro cortou-as em baixo e acrescentou-as dos lados para que encaixassem na perfeição na tal abertura, vidros novos foram providenciados e branco foi a cor escolhida para tapar as demais mazelas. E assim ficou, até Junho deste ano, quando iniciei as obras na sala e num impulso decidi que iria lixar toda a tinta das portas, deixando-as na madeira original. Está claro que, apesar da minha já alguma experiência em restauro, nunca pensei que fosse passar tantas horas e dias agarrada a elas, que iria mais que uma vez ter que parar para me recuperar do dedo indicador direito que feria e sangrava e que pingos de suor manchariam a madeira no calor de Julho. Algumas vezes me perguntei porque me tinha metido nessa empreitada, mas desistir não era opção...Hoje juro a pés juntos que doravante avaliarei melhor as minhas decisões tomadas de arroubo, mas o que é fato é que estou orgulhosíssima do meu trabalho e do meu empenho e até mudei de lugar à noite no sofá só para poder olhar para elas. Acho que sim, elas estiveram ali 25 anos pintadinhas de branco mas eram...só mais um par de portas, e agora ganharam um carisma e personalidade incríveis, que talvez só tenham tido lá pelos anos 20 do século passado, quando completavam um conjunto de arco/portas em madeiras no hall de um prédio. Só que nesse tempo eu não estava lá para aprecia-las.






Última foto que tirei das portas em branco, já as obras haviam começado na sala:



Ainda não tenho a sala completamente acabada principalmente na zona de estar, mas deixo aqui uma vista da área da mesa de jantar onde a mudança de local de dois moveis permitiram um melhor aproveitamento de espaço: o louceiro saiu de trás da mesa e veio para o sítio onde estava a cómoda, e esta, por sua vez, migrou para o lado do sofá.

O início dos trabalhos nas portas foi fácil e parecia que tudo iria se resolver rapidamente com a pistola de ar quente:
Mas logo dei-me conta que perto dos vidros seria impossível usar a pistola e decapante foi o material usado para tirar cuidadosamente a tinta:
O que eu realmente não esperava é que a camada castanha (originalmente a porta era castanha) que estava por baixo da branca não saísse com o diluente e foi aí que tudo se complicou:
Foram incontáveis e cansativas horas a raspar com lâmina a tinta castanha com dificuldade acrescida nos cantos redondos dos perfis:

E depois da lâmina, cortava pequeníssimos bocados de lixa que me permitissem acompanhar, amaciar e terminar de limpar os cantos redondos:

Pelo meio dos trabalhos, umas selfies para desanuviar:
Depois da pistola, decapante, lâmina e lixa manual, finalmente, lixadeira elétrica para as manchas maiores:
E os retoques finais já com os conselhos da Guida que gere a Monstros e sugeriu que eu disfarçasse os locais que tinham muita massa de pintor e ajudou-me na aguada para fazer com que o pinho que tinha sido acrescentado nas laterais (lembram que as portas eram estreitas?) acabasse por se assemelhar o mais possível à madeira de casquinha das portas:
Abaixo vê-se bem a lateral acrescentada e a diferença entre as madeiras:
Cera incolor foi o acabamento escolhido:
As portas em casa em 1995: castanhas, com os vidros partidos e as laterais em pinho já acrescentadas:

1995- um artista especialista em pintura decorativa decalca o desenho que resistiu aos anos de descaso para depois o reproduzir na outra porta:
Uma das poucas imagens que tenho do prédio em remodelação em 1995: as portas ficavam abaixo do arco em madeira que aparece na foto e penso que teriam, não me recordo bem, duas laterais fixas.

E, por curiosidade, foto do prédio já com as obras acabadas:

16 comentários:

  1. Val, que trabalho! Nunca vi ninguém com a sua capacidade para recuperar a madeira natural de peças antigas! Imagino então a dificuldade em trabalhar essas portas, já que fizeram justo você chegar ao limite.
    Adorei ver o não só o passo a passo, mas as várias épocas dessa porta. Que incrível que você tem todos esses registros.
    Cada hora que você gastou, todo o sangue e suor valeram a pena. Ela está linda, uma jóia na sua sala nova!

    ResponderEliminar
  2. Ficaram fantásticas! Lindas! Parabéns pela persistência. Valeu a pena.
    Estava a pensar perguntar se os vidros desenhados eram originais, mas já li a resposta.

    Beijinhos e boa semana:))

    ResponderEliminar
  3. Olá Val, valeu a pena cada minuto! Muitos parabéns!!
    Acho que consigo dar o valor ao quanto difícil foi esse restauro, porque tentei restaurar umas portadas interiores de uma casa e também penei muito, apesar do grau de dificuldade ser muito menor, porque as portadas não têm vidros. Retirei uma primeira camada de tinta, com uma pasta de cal e soda caustica, e que saiu com relativa facilidade, mas depois, tb me deparei com uma camada inicial de tinta castanha muito difícil de tirar. Acabei por desistir do processo, falta lixar os pormenores, arranjamos outra solução para as janelas e as portadas continuam num estado semi-acabado que até dá dó :)
    Por tudo isto não me canso de ver as fotos dessas portas que ficaram lindas!
    beijinhos,
    Teresa

    ResponderEliminar
  4. Parabéns Val!
    Valeu cada segundo do seu esforço!
    Ficou linda demais!
    Estou aqui há quase um ano pensando em fazer o mesmo com uma porta, criando coragem.
    Você com certeza será minha inspiração.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. Oh, Val, que maravilha! Não consigo sequer imaginar a trabalheira, mas faço ideia do tempo, da dedicação, do esforço e claro da compensação final. Ficaram muito mais lindas! Adoro este tom natural da madeira, fica sempre bem em qualquer ambiente e nunca cansa. Quanto à sala, confesso que tenho curiosidade por saber como é que disfarçaste a entrada, usaste biombos? Cortinados? Gosto muito da tua sala, é grande, luminosa, acolhedora e tem um chão lindérrimo! Beijinho, querida, obrigada pela curiosa e deliciosa partilha. Ah, e continuas linda e chique! :)

    ResponderEliminar
  6. Oi Val, Eu tinha visto as portas no instagram e tinha me apaixonado, mas aqui, em tamanho maior é que dá para ver como são lindas!
    Eu não sabia que vc é arquiteta!
    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Bem, Val, que loucura de transformação! Dá para perceber muito bem o quanto és paciente, resistente e determinada. Não só é preciso querer muito ver feito, mas como é preciso ter a determinação para querer ver bem feito e nunca desistir até se concluir o pretendido. Muito bom, Val e o resultado é fantástico, as tuas magníficas (e muito preciosas) portas ganharam mais uma vida. E como percebo tão bem essa necessidade de as contemplar :) vale ouro olharmos para algo que nos "saiu do corpinho" e que nos enche de orgulho. Perfeito, Val, perfeito.
    E a entrada do teu prédio, aquele tecto... absolutamente divino!
    bjs*

    ResponderEliminar
  8. Que porta linda. Sem palavras pra ela.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderEliminar
  9. Bom dia,Val
    aqui: 7:33 manhã de sexta-feira com friozinho delicioso.
    PARABÉNS, já achava essa porta branquinha um charme, agora com sua árdua restauração ela ganhou uma personalidade impar, realmente ficou estilosa e mais bonita ainda. Confesso que não conseguiria tanto, mas sua persistência sempre vence o cansaço e o trabalho. Mais uma vez parabéns pelo excelente empenho e resultado, também mudaria a sala para ficar de olho nela, rsrsrs.
    Grande abraço.
    Mari

    ResponderEliminar
  10. Fiquei cansada só de imaginar. Mas o resultado final compensou. Digo eu que não me esfalfei a trabalhar. Estão lindissimas ao natural.

    ResponderEliminar
  11. Alô Val, continuas linda e fofa!
    Fiquei deslumbrada com tamanha transformação, adoro essa porta ou melhor tenho uma grande paixão por portas e janelas velhas.
    Imagino te a trabalhar horas e horas até chegares ao teu objectivo final, mas que vale sempre apena.
    Gosto do novo visual que deste à sala, até parece maior, parabéns por mais esse teu grande projecto.
    Beijinhos e abracinhos para vocês.

    ResponderEliminar
  12. Bom dia Val,
    Que persistente e valente foste para trazer à realidade o sonho da porta!
    EU penso que no teu lugar e também não sou pessoa de desistir de nada, já tinha chorado ou chamado o Paulo para apagar o fogo :D:D
    Mas falando a sério que linda essa peça de arte ficou na tua sala, quase como um quadro prende mesmo a atenção.Adoro a tonalidade da madeira.
    E achei super interessante teres ido buscar as fotos da sua origem.
    Já sabes que eu estou a adorar a transformação da tua sala, está linda linda.
    Estou pensar colocar cera incolor no meu aparador da tv. Lixamos, deixamos na cor natural, mas precisa de acabamento pois de vez em quando com a pequenina surgem manchas de gordura
    Bom Domingo, aqui espera se muita chuva.
    bjs mil
    Lulu

    ResponderEliminar
  13. Boa tarde! Valeu a pena o esforço, ficou lindíssima!
    Boa semana para si! Bjs

    ResponderEliminar
  14. Quanta beleza!
    Louca pra conhecer Portugal!
    Parece que vocês são bons preservadores...
    Abraço

    ResponderEliminar
  15. Querida Val, este foi sem sombra de duvida um dos teus melhores trabalhos!Maravilhoso! Deixa que te diga que a tua sala está lindaaaaaa... Dá vontade de entrar! Beijinho grande.

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics