PARA O THOMAS

30.1.17
Nos países frios, basta um raio de sol espreitar, para que os parques das cidades se encham de mantas coloridas e cestos de verga. Os pais correm para os parques com as crianças, que cansadas dos grossos agasalhos e das brincadeiras indoor, usufruem o mais possível da liberdade de correr e jogar ao ar livre. Thomas, vai nascer na Alemanha, e eu juntei 19 padrões diferentes para lhe fazer uma manta divertida. A minha pretensão, é que lhe sirva, nos primeiros tempos, para ele deitar-se, espreguiçar-se à vontade e tirar umas sonecas. Daqui a uns meses, ele possa sentar-se nela para brincar. E lá mais para o verão, se estenda à família e aos amiguinhos e convide a belos lanches na relva. A novidade, foi que coloquei no forro, um tecido resinado que repele a humidade e é de fácil limpeza, caso se agarre terra ou outras sujidades. Também providenciei duas longas tiras no topo, para que a manta fique sempre organizada e de fácil transporte. Ou seja, não há desculpas para que, assim que o sol sair e as flores começarem a desabrochar, Thomas não seja visto, agitando braços e perninhas, num jardim perto de casa!

MESAS SINGULARES

20.1.17
A visão fora da caixa sempre me chama a atenção. Gosto de ver como as pessoas lidam com os materiais e as formas e com imaginação, dão um pequeno twist a objetos vulgares, trocando-lhes a função e colocando-os num patamar superior. São ideias vistas nas ruas, em espaços públicos, mas que insisto em registar, pois nada impede que possam ser transportadas para as nossas casas, permitindo-nos sair da nossa zona de conforto e originando ambientes singulares.

→→Em Lisboa, bidons metálicos (ou tambores) foram pintados de cores fortes e dispostos na entrada de uma escola de línguas. Bancos altos, permitem que os alunos sentem e escrevam ou consultem o laptop enquanto esperam para entrar nas aulas.




































WIP

13.1.17
Não é meu hábito mostrar um móvel que comecei a transformar e ainda não acabei, mas a realidade é que a peça tem me dado tanto trabalho, que eu achei que talvez merecesse um post com o durante, quanto mais não fosse para que eu colocasse as ideias em ordem. É um móvel de casa de banho, daqueles que ficavam sobre o lavatório, para guardar a escova dos dentes, as loções e outros produtos de higiene, e tem me trazido algumas surpresas. A primeira, foi que ao desencostá-lo da parede onde estava pendurado há décadas, caiu-me de trás um envelope com dinheiro, algumas notas na moeda antiga, Escudos. Já tinha ouvido falar de pessoas que guardavam as poupanças debaixo do colchão, mas nunca entaladas atrás de um móvel! A segunda surpresa, foi que ao olhar com olhos de ver para a peça e começar a lixá-la, dei-me conta que o espelho central, estava embutido numa antiga pequena porta de armário que teria sido reaproveitada para o efeito. Época em que tudo se transformava e nada se perdia. Para resumir a história, o móvel encontra-se neste momento, naquela fase indefinida, em que até Deus duvida que chegará a bom porto. A minha ideia é tê-lo, dentro de 1 semana, pronto para receber uma pintura pop art. No entanto muitas incertezas ainda rolam: se guardo os puxadores antigos ou opto por uns novos; e o que fazer aos interiores dos armários laterais, só pintura ou algo mais? Bem, mas isso ficará pendente das conversas que ele e eu ainda vamos ter. É que móveis de vida longa têm preferências, gostos e tendências que devemos ouvir.

(MINHAS) LOJAS EM BRUXELAS

3.1.17
O meu primeiro post de 2017 vai ser bem diferente daquilo que é costume por aqui (e um pouco longo também!). Como viajo bastantes vezes a Bruxelas e muitas pessoas perguntam-me o que fazer por lá em termos de shopping, deixo um apanhado das lojas que visito sempre que vou. Não são lojas de roupa, porque nesse quesito sou muito prática e fraca consumidora: o essencial que compro, faço-o em Lisboa, de 2 ou 3 marcas que gosto e conheço tão bem, que muitas vezes nem preciso experimentar. O meu vício é outro! são as coisas de casa! Os pequenos nadas que transformam os nossos lares em únicos. Gosto de registar inspirações, tirar ideias daqui e dali, descobrir detalhes interessantes e absorver novas referências. E nisso, minhas passagens por Bruxelas são prolíferas! As sugestões que deixo, nem sempre são nos circuitos turísticos (mas são bem acessíveis por metro) e dividi-as em 5 categorias: 2 bairros com lojas diversas, casas mais viradas para a decoração, lojas essencialmente de cozinha e lojas craft. Vamos passear?

LES MAROLLES
É na Place du jeu de Balle, no coração do bairro Les Marolles, que ocorre todos os dias de manhã, o famoso mercado das pulgas de Bruxelas. Mas sendo Bruxelas a Capital Europeia das Antiguidades, vale a pena perder tempo nas ruas adjacentes à praça: Rue Blaes e Rue Haute, são as ruas por excelência de brocante, ou seja, velharias, antiguidades, roupas vintage e galerias de arte. Mesmo que a intenção não seja comprar, vale a pena apreciar a diversidade e a vivência do local.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics